NOIVO NEURÓTICO, NOIVA NERVOSA (1977)

Quem já se encantou com o humor pessimista de Woody Allen nos recentes “Tudo Pode Dar Certo” e “Você Vai Conhecer o Homem Dos Seus Sonhos”, ainda não viu nada. Sofisticado com o tempo e já aventurado em dramas e romances mais “sérios”, Woody apresenta, hoje, uma obra bem mais madura do que aquela que o consagrou entre os anos 70 e 80. “Noivo Neurótico, Noiva Nervosa” (Annie Hall, 77), portanto, é uma dessas raras oportunidades de se observar um diretor ainda-não-tão-experiente trabalhando à vontade, disparando piadas (quase) sem controle de qualidade e se divertindo no set.

1111855_annie_hall

Em “Noivo”, ninguém escapa, a começar pelo protagonista (Alvy Singer, interpretado por Allen), que abre o filme num monólogo sobre seus fracassos. O diretor é bom nos discursos, seguro e rápido nos improvisos, mas arrisca ser excessivamente ele mesmo. Não apenas pelo romance real que teve com Diane Keaton, mas pelo conjunto da obra. Já sabemos que Woody Allen é irônico, tem uma simpatia pelo caos e custa a acreditar que as coisas tenham um sentido ou um destino guiável. “Aconteceu assim, que pena. Gostaria que fosse diferente, mais não foi.” – é essa a postura de Alvy, ou de Allen, ou dos dois, o tempo todo.

Alvy é um humorista de televisão, que se apaixona e vive um tempo ao lado de Annie Hall (Keaton, no maior estilo riponga-grunge), mas as manias dos dois acabam por afastá-los e transformar o amor em amizade. Enquanto reflete sobre a separação, Alvy relembra bons e maus momentos do casal, tentando, talvez, entender o que tinham de tão diferente.

Annie é frenética, às vezes se perde no raciocínio e ri com facilidade. Ela quer ter uma vida social e ser aceita em toda a sua estranheza, mas também quer agradar Alvy (mesmo que isso signifique fazer sexo de espírito literalmente ausente). Alvy é culto, mas intolerante; racionaliza todos os seus sentimentos e de quem convive com ele, por isso fala pelos cotovelos, até sozinho. Ele a ama, ela o ama, mas simplesmente não dá.

“Noivo” explora truques interessantes para contar a história de diversos pontos de vista. O diálogo simultâneo a uma legenda de pensamentos é simples e genial – e pode servir de estudo sobre a falsidade necessária aos casais, especialmente no início. Já a divisão da tela na cena do almoço em família permite a interação mágica de personagens que não se conhecem, em ambientes e tempos distantes. Tudo, provavelmente, está dentro da imaginação de Alvy e serve para provar seu ponto. Isso porque, em outro momento, ele sai de cena, deixando a fila do cinema para falar diretamente ao espectador. O narrador, fica claro, é Alvy, e ele tem o controle da história. Faz sentido, agora, que o pensamento de Annie na cena das legendas fosse “não sou tão inteligente quanto ele”, não faz?

A crua realidade de relacionamentos nada cinematográficos fica exposta com humor e sem adornos. Assim, Allen analisa o que há de real nos comportamentos. Alfineta acadêmicos em primeiro lugar – até McLuhan dá as caras, como o intelectual desprezando o pseudo-intelectual. Professores universitários são suas vítimas mais de uma vez, o que faz pensar se ele não estaria criticando, na verdade, o conhecimento canonizado e os livros de regras, que rasga a cada diálogo. Assim, contudo, ele cria para si um dilema: seu público não seria justamente esse acadêmico, capaz de compreender as referências e questioná-las como ele faz? Mas ele não se importa muito com isso e segue, até hoje, ironizando o público, a televisão americana, a indústria do cinema e a si mesmo.

 

Love is too weak a word for what I feel – I luuurve you, you know, I loave you, I luff you, two F’s, yes I have to invent, of course I – I do, don’t you think I do? “

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s