Quando Han Solo ganhou seu próprio filme

Como os tempos mudam, não é? O novo filme da franquia “Star Wars” estreou já faz mais de uma semana e só agora me mobilizei para vê-lo – e, honestamente, foi só porque não tinha “Tully” no horário que eu queria. Se fosse três anos atrás, eu estaria respirando o ar poeirento de Tatooine e vibrando a cada menção da Millenium Falcon muito antes de as luzes se apagarem.

Acontece que, de 2015 para cá, saíram QUATRO filmes da saga “Star Wars”. Isso é mais material do que a trilogia clássica inteira, lançado no mesmo tempo que levou para a aventura de Luke Skywalker ganhar sua primeira sequência. Eu sei, você vai dizer que não estamos mais nos anos 70 e Hollywood não é mais a mesma, nem o público… E não são. Mas as palavras “caça” e “níqueis” insistem em piscar como outdoors na minha cabeça a cada novo episódio e eu não posso evitar.

Um bom personagem

Seja como for, não vou negar que um filme sobre Han Solo tinha lá seu apelo. Quem, afinal, nunca brincou de ser o contrabandista mais charmoso e irritante das galáxias? Como não amar aquele sorrisinho torto e a relação adorável com seu copiloto Chewbacca? (Tenho um Chewie na minha mesa agora mesmo, julgando cada palavra que escrevo). E quem não sofreu quando Solo tentou reatar os laços com o filho perdido e falhou miseravelmente, ou torceu para que o romance com Leia desse certo, mesmo sabendo que isso jamais aconteceria?

Meu ponto é que Han Solo é um dos personagens mais interessantes de toda a franquia e é por isso que o novo spin-off, que leva seu nome e o subtítulo “Uma História Star Wars”, tinha um sucesso fácil nas mãos. Era praticamente uma receita pronta e, mesmo assim, alguém esqueceu de testar os ovos.

Problemas de percurso

Justiça seja feita, depois de uma produção marcada pela troca de seus dois diretores (os moderninhos Chris Miller e Phil Lord pelo veterano Ron Howard) no meio das filmagens por “diferenças criativas”, o filme que chegou aos cinemas até que não é nenhum desastre. Ele é divertido, tem ritmo e traz alguns personagens absolutamente memoráveis – eu estou a-pai-xo-na-da pela droide L3, interpretada pela até então desconhecida por mim Phoebe Waller-Bridge, e nem preciso dizer que o Lando de Donald Glover é um sucesso. Mas todos sabemos que Alden Ehrenreich está bem longe de ser um Harrison Ford.

Não que alguém esperasse, literalmente, uma versão mais jovem de Ford em pleno 2018, com toda a sua petulância esparramando pela tela e para fora dela, mas um personagem como Solo pede um nível de carisma e de autoconfiança que Ehrenreich simplesmente não tem e, tampouco, consegue emular em frente às câmeras. Houve boatos de que o ator teria precisado de “coaching” de atuação durante as gravações, mas isso me parece suspisciosamente inspirado em seu papel anterior, de um ator sem talento na comédia “Ave, César!”, dos irmãos Coen.

É só uma aventura, né?

Se o protagonista não é lá dos melhores, o roteiro também não se esforça muito para ajudá-lo, partindo do princípio de que o público já conhece o personagem e concentrando todos os seus esforços na construção da aventura. Ora, se o conhecêssemos tanto assim, por que diabos precisaríamos de um filme de origem? Pois é, não precisamos, mas mesmo assim.

Apesar dos problemas, “Han Solo: Uma História Star Wars” estreou em primeiro lugar nos cinemas e com certeza não será um grande prejuízo para a Walt Disney. Mas me pergunto se uma franquia que conseguiu sobreviver por quarenta anos como um verdadeiro culto tem muito a ganhar com um filme cujas reações variam entre “divertido”, “legalzinho” e “é só uma aventura, né?”… E acho que a Disney poderia começar a se perguntar o mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s