Auto-estima poderosa

Filmes de comédia adoram bater a cabeça de seus protagonistas para colocá-los em situações fantásticas. Em “Sexy por Acidente”, longa que estreia no dia 28 de junho, é a vez de Renee (Amy Schumer) levar um tombo e acordar transformada: ao invés da garota comum, de rosto redondo e vermelho que ela vê todos os dias, o espelho passa a refletir uma mulher perfeita, “inegavelmente bonita”, como ela sempre sonhou em ser.

O nome original do filme é “I Feel Pretty”, que se traduz literalmente como “sinto-me bonita”. Esse título obviamente não funcionaria em português, mas ele traz uma interpretação um pouco diferente da nacional: Renee não se tornou sexy por causa do acidente, ela não ficou mais bonita. O que mudou foi sua percepção sobre si mesma, foi a forma como ela se sente… E, agora, ela se sente bonita. É isso, não sua imagem, que vai mudar sua vida.

O filme tem roteiro da dupla Abby Kohn e Marc Silverstein, os mesmos que nos trouxeram as pérolas “Nunca Fui Beijada” e “Ele Não Está Tão a Fim de Você”. Ambos estreiam na direção com este lançamento e, até onde comédias românticas vão, é uma boa estreia. Shumer, mais acostumada a séries cômicas e stand-ups, retorna aos cinemas após uma irregular experiência com “Descompensada”, que escrevera e estrelara em 2015. Aqui, amparada por um roteiro menos ambicioso, ela consegue roubar o show e fazer sua Renee brilhar enquanto dança no concurso de biquíni ou paquera na fila da lavanderia.

Quem também rouba a cena é a atriz Michelle Williams, que leva sua voz naturalmente aguda a outro patamar e cria uma personagem que é, ao mesmo tempo, intimidadora e adorável. Ela é a dona da marca de cosméticos para a qual Renee trabalha e, com a transformação da funcionária, as duas vão se tornando mais próximas e a hierarquia vai se equilibrando.

Para um filme tão preocupado em empoderar sua protagonista, porém, “Sexy Por Acidente” escorrega ao deixá-la puxar o tapete de outras mulheres (em particular, uma colega do spinning) sob a justificativa de que elas são “bonitas” e, portanto, já têm “todas as oportunidades do mundo”. Enquanto outras pisadas de bola se voltam contra a personagem para aquela tradicional lição de moral, essa passa batida e até serve de degrau para sua redenção. Shame on you.

Apesar disso, o saldo é bem positivo. O romance, entre Renee e um sujeito tímido chamado Ethan (Rory Scovel), é de abraçar o coração e as cenas no ambiente de trabalho são divertidíssimas. Quem fica para trás são as amigas de Renee (Aidy Bryant e Busy Philipps), um tanto desconectadas com a nova fase da companheira e pouco dispostas a conversar, mas isso abre espaço para que outro colega, interpretado por Adrien Martinez, se torne um novo (e excelente) amigo. Como prometido, o filme faz com que o espectador saia mais leve, mais confiante e se sentindo muito bem. Sentindo-se, até, quem sabe, um pouco mais bonito. Eu gostei.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s