Estreias do fim de semana (28-30/05)

O fim de semana tá aí e você ainda não sabe o que vai assistir? Confira as novidades que acabam de chegar aos cinemas e plataformas digitais:


CRUELLA | Disney Plus (Premier access) e nos cinemas 

A mais fashion das vilãs da Disney retorna às telas numa história de origem, ambientada na Londres dos anos 1970 e com Emma Stone no papel principal. Disponível simultaneamente no Disney Plus, por R$ 69,60, e nos cinemas.


ALICE E O PREFEITO | nos cinemas

Com Fabrice Luchini e Anaïs Demoustier, esta comédia dramática francesa traz no centro um homem que, depois de décadas na política, começa a se sentir menos criativo e inspirado. Para resolver o problema e “reaprender” a pensar, ele contrata uma filósofa.


PANIC (Temporada 1) | Amazon Prime Video

Numa pequena cidade no Texas, os estudantes do Ensino Médio têm uma tradição: uma competição cheia de desafios perigosos cujo prêmio pode garantir uma vida melhor fora dali. 


ALVORADA | Now, Oi, Vivo Play e nos cinemas

O documentário de Anna Muylaert e Lô Politi acompanha a ex-presidenta Dilma Rousseff em sua rotina dentro do Palácio da Alvorada, em Brasília, durante os últimos dias de seu mandato, encerrado com um Impeachment em 2016.


ERA UMA VEZ NA AMÉRICA | Belas Artes à la Carte

O clássico de Sergio Leone estreia no catálogo do Belas Artes à la Carte trazendo a história do ex-gângster judeu que retorna a Manhattan depois de trinta anos e revisita sua antiga vida.


STARDUST| iTunes / Apple TV, Google Play, Now, Vivo Play e Sky Play

Johnny Flynn é o camaleão David Bowie nesta cinebiografia que apresenta a juventude do músico e ator londrino durante a turnê do álbum ‘The man who sold the world’ nos Estados Unidos, até a criação do personagem Ziggy Stardust.


O ÚLTIMO DESTINO | Now, Vivo Play, Sky Play, iTunes / Apple TV, Google Play e YouTube Filmes

Nikolaj Coster-Waldau, conhecido pelo papel de Jamie Lannister na série Game of Thrones, interpreta um homem com um tumor que descobre um hotel especializado em suicídios assistidos. Porém, ele logo percebe que seus hóspedes mais parecem prisioneiros.


Quer mais dicas como essa? Siga-nos no Instagram: @julianavarella

Rapidinhas: Eternos, Highlander, Friends e mais

Fala, pessoal! Hoje eu separei um monte de novidades sobre filmes e séries que eu tenho certeza de que vocês vão gostar. Temos o novo filme do Yorgos Lanthimos, o trailer de Eternos, da Marvel, o ator que vai ficar perfeito como Highlander e muito mais! Vamos lá?

Errata: a atriz que fará a Wandinha chama Jenna Ortega, não Jenny como eu falei 😬

Estreias do fim de semana (21-23/05)

Quer saber o que está chegando agora nas principais plataformas de streaming e nos cinemas? Destacamos algumas produções:


A GANGUE | Cinema #EmCasaComSesc

Destaque na Mostra Internacional de Cinema de SP alguns anos atrás, o longa ucraniano acompanha o cotidiano de um internato para jovens surdos, e revela uma rede de crimes e prostituição que se organiza entre eles.Todos os diálogos do filme são em linguagem de sinais e não há legendas – mas isso é parte da experiência. 


O VISITANTE | Cinema #EmCasaComSesc

The Visitor (2007) directed by Tom McCarthy • Reviews, film + cast •  Letterboxd

Neste drama de aquecer o coração, um professor universitário viúvo e desmotivado retorna para um apartamento que tinha em Nova York e descobre um casal de imigrantes vivendo nele. Junto com a perplexidade, o contato com esses “inquilinos” acaba revelando todo um universo além da sua bolha.


ARMY OF THE DEAD | Netflix

Army of the dead': Zack Snyder reencontra e desconstrói zumbis, gênero no  qual iniciou a carreira | Cinema | G1

Zack Snyder dirige este pipocão que mistura o gênero de assalto com filme de zumbis, e que tem Dave Bautista no elenco. A história se passa em Las Vegas, onde um magnata recruta um time para roubar um cassino abandonado numa região infestada por mortos-vivos – que, além de perigosos, são relativamente inteligentes.


SUSPEITA | Belas Artes à la Carte

Week 7: Suspicion (1941) Cary Grant, Scrabble Tiles, and Doing the Work –  Hitchcock 52

Acaba de entrar no catálogo o suspense de Alfred Hitchcock de 1941, a primeira parceria do diretor com o ator Cary Grant. Em “Suspeita”, uma jovem herdeira se casa, mas começa a suspeitar que seu marido esteja planejando o seu assassinato.


MORTAL KOMBAT | nos cinemas

Mortal Kombat: Warner Bros. divulga a sinopse oficial do reboot; confira!

Se a adaptação dos jogos Mortal Kombat para os cinemas em 1995 se tornou O clássico do gênero (mesmo tendo envelhecido mal), a nova versão já tem lugar garantido na minha lista, para ver quando chegar ao digital. No novo filme, focado num jovem lutador de MMA que não conhece sua herança nem seus poderes, um torneio entre a Terra e a Exoterra (liderada por Shang Tsung) decidirá o destino do planeta.


AMOR, CASAMENTOS & OUTROS DESASTRES | nos cinemas

Love, Weddings & Other Disasters' Review - Variety

Jeremy Irons e Diane Keaton (que interpreta uma mulher cega) são o destaque nesta comédia romântica sobre vários personagens que se encontram e desencontram em pequenas histórias de amor. Do mesmo diretor de pastelõezinhos clássicos como “O Pestinha”, “O Paizão”, “Eu os declaro marido e… Larry” e “Gente grande”.

Agradecimentos (sinceros)

Estava pensando no quanto odeio agradecimentos em trabalhos acadêmicos, porque sempre soam falsos e burocráticos… Então decidi escrever o que eu realmente gostaria de colocar naquela página, quando entregar minha dissertação daqui a mais ou menos um mês. Talvez eu coloque de verdade… Quem sabe?


Gra-ti-dão

Agradeço a Ursula K. Le Guin por ter me dado um motivo para fazer mestrado, e peço desculpas por não ter seguido com o nosso plano. Tive medo de te odiar até o fim da pesquisa, e por algum motivo não pude deixar de escrever sobre cinema. Você não estava no cinema.

Agradeço a Philip K. Dick por ter sido minha segunda opção e inspirado o trabalho que realmente entrego agora. Não, eu não te odiei no final das contas… Só por algumas semanas, lá no meio, quando li seus contos. Sério, você tem problemas com personagens femininas. 

Agradeço também a Ridley Scott e Denis Villeneuve por terem escolhido uma obra com um nome tão longo e peculiar para adaptar e expandir (quer dizer, Androides sonham com ovelhas elétricas? não é o melhor título que você já viu?), e por terem feito desse trabalho uma arte. Se aceitam uma sugestão, experimentem escolher uma ficção científica de autoria feminina para adaptar de vez em quando. Se tivessem feito isso, talvez eu não precisasse desistir da minha primeira opção.

Uma dissertação digital não tem o mesmo impacto que uma impressa, né? E acabei de ver que preciso arrumar essa data.

Acima de tudo, agradeço aos deuses da pirataria por terem disponibilizado tantos PDFs para download. Sem eles, não haveria pesquisa. Com certeza devo muito à biblioteca do Mackenzie (que saudades de escalar aquelas prateleiras empoeiradas!) e ao JSTOR por suas contribuições inestimáveis, mas a verdade é que, sem PDFs, não existe mestrado. Não quando a bolsa é de R$ 1.500.

Obrigada, também, ao amigo do Gabriel por ter emprestado aquele livro maravilhoso sobre A Arte de Blade Runner 2049. Você tem um lugar especial no meu coração e aquele livro também. Acho que artbooks vão virar minha nova obsessão… Ou não. Bem, talvez se eles não fossem tão caros (e agora serei uma mestre desempregada).

Por fim, agradeço ao meu Macbook Air 2013 por ter aguentado cada sprint de escrita, cada PDF suspeito, cada cena repetida mil vezes no Youtube ou na Netflix, cada lágrima ou café derramado, cada arquivo copiado pela vigésima vez para o Drive, o HD, a nuvem, o céu e o inferno, tudo ao mesmo tempo, com a memória no talo. Obrigada por me acompanhar durante mais essa jornada. Prometo não te fazer passar por um doutorado.

Essa promessa vale por uns dois anos, OK?

Enfim, obrigada.

Estreias do fim de semana


Bora sextar com um monte de filmes e séries que acabam de chegar ao streaming e aos cinemas (para os vacinados, ou para ver naqueles horários beeem alternativos)? Então vem comigo!

Ah! Se você ainda não viu nosso listão com as estreias de maio nas principais plataformas digitais, dê uma olhadinha aqui. ; )

A MULHER NA JANELA | Netflix

Espécie de “Janela indiscreta” versão 2021, o longa traz Amy Adams no papel de uma psicóloga infantil que sofre de agorafobia e, incapaz de sair de seu apartamento, começa a observar a vida de seus vizinhos a partir de sua janela. Um dia, ela testemunha o que acredita ser um crime violento. Estreia: 14/05

LOVE, DEATH AND ROBOTS (V2) | Netflix

A segunda temporada da série antológica de animação estreia nesta sexta. Com oito novos episódios, ela promete novas reflexões perturbadoras sobre a tecnologia, o futuro e os limites da imaginação. Estreia: 14/05

THE UNDERGROUND RAILROAD (T1)| Amazon Prime Video

Dirigida por Barry Jenkins (“Moonlight”) e baseada no romance de Colson Whitehead, a série ganha sua primeira temporada contando a história de uma escrava que, após fugir de uma fazenda na Geórgia, descobre uma rede secreta de trilhos subterrâneos que a ajuda em sua busca por liberdade. Estreia: 14/05

QUEM MATOU LADY WINSLEY?| Belas Artes à la Carte

O longa do iraquiano Hiner Saleem se inspira nos romances policiais de Agatha Christie para contar, com um toque de humor, a história de um inspetor que investiga a morte de uma escritora americana em Istambul, e acaba esbarrando em segredos e tradições peculiares da população local. Estreia: 14/05

MUNDO EM CAOS | nos cinemas

Estrelando Daisy Ridley e Tom Holland, a adaptação da popular franquia literária de Patrick Ness chega aos cinemas, mostrando um futuro onde todos os pensamentos íntimos podem ser vistos por qualquer pessoa. Estreia: 13/05

MÃES DE VERDADE | nos cinemas

O novo drama da diretora japonesa Naomi Kawase (Esplendor) explora, em tom contemplativo, a trajetória de um casal que decide adotar uma criança num centro que conecta mães que não podem seguir com a maternidade por algum motivo, a casais que a desejam. Anos depois,u ma jovem aparece alegando ser a mãe biológica e chantageando a família. Estreia: 13/05

UM DIVÃ NA TUNÍSIA | nos cinemas

Na comédia de estreia de Manele Labidi, Golshifteh Farahani interpreta uma psicanalista que se forma na França, mas volta para sua terra-natal, a Tunísia, para abrir uma clínica. Lá, encara as neuroses e os problemas de uma população marcada por tradições, dificuldades de comunicação e por uma burocracia inescapável. Estreia: 13/05

E aí, qual desses vai ser seu companheiro neste fim de semana? Pessoalmente, quero muito ver Um divã na Tunísia, mas vou esperar a estreia nos meios digitais e, enquanto isso, devo mergulhar em Love, death and robots porque não resisto a um robozinho.

Lupin, A Lenda do Cavaleiro Verde e três mostras online

Fala, pessoal! Olha eu aqui de novo trazendo notícias rapidinhas de cinema e TV. Hoje temos novos trailers, datas de estreias, uma polêmica e três mostras de cinema online e GRATUITAS pra vocês! Divirtam-se =)

Links:

Festival de cinema brasileiro fantástico: festivalfantastico.com 

Mostra Embaúba Play: embaubaplay.com

2ª Mostra de cinema árabe feminino: cinemaarabefeminino.com

.

Errata: o Festival de cinema brasileiro fantástico terá 9 longas: 8 disponíveis durante todo o período e 1 (“Sol Alegria”) com exibição limitada entre os dias 15 e 16/05.

Khaleesi escritora, remake de Druk, novidades da Marvel e mais

Fala, pessoal! Estou de volta para atualizar vocês sobre as principais notícias do cinema e da TV. No vídeo de hoje, falamos sobre a HQ feminista escrita por Emilia Clarke, o remake americano do Melhor Filme Internacional no Oscar, as primeiras imagens de Os Eternos e muito mais. Vamos lá?

Lançamentos de maio no streaming

Foi-se o tempo em que o calendário de estreias de filmes era fácil de acompanhar. A cada quinta-feira, uma coleção de oito ou dez títulos chegava aos cinemas, às vezes somando-se a uma mostra especial aqui ou ali. Hoje, plataformas de streaming oferecem dezenas de opções a cada semana, cada empresa competindo com seu próprio pacote de estreias exclusivas e produções originais. O público, agradecido mas bastante confuso, tem a chance de alugar filmes avulsos ou assinar mensalmente o catálogo de plataformas cada vez mais numerosas.

Pensando nisso, decidi organizar um pouco a bagunça e reunir, numa única página, os principais lançamentos digitais (filmes e séries) que eu for recebendo. No início faltarão algumas plataformas, mas aos poucos tentarei incluir todo mundo. Me desejem sorte e… Aproveitem!


Maio


Netflix

Army of the dead: invasão em Las Vegas

4 maio

Zé coleta (Temporada 2)

5 maio

Os filhos de Sam: Loucura e conspiração (Minissérie)

7 maio

Monstro (Anthony Mandler, 2018)

O Legado de Júpiter (Temporada 1)

11 maio

Explicando… Dinheiro (Minissérie)

12 maio

Oxigênio (Alexandre Aja, 2021)

13 maio

Castlevania (Temporada 4)

Castlevania

14 maio

A Mulher na Janela (Joe Wright, 2021)

Love, Death & Robots (Série – Volume 2)

18 maio

Quem matou Sara? (Temporada 2)

20 maio

Special (Temporada 2)

21 maio

Army of the dead: Invasão em Las Vegas (Zack Snyder, 2021)

Jurassic World: Acempamento Jurássico (Temporada 3)

26 maio

O Divino Baggio (Letizia Lamartire, 2021)

Ghost Lab (Paween Purijitpanya, 2021)

Da África aos EUA: uma jornada gastronômica (Minissérie)

27 maio

Milagre Azul (Julio Quintana, 2021)

Eden (Temporada 1)

28 maio

Lucifer (Temporada 5 – Parte 2)

O método Kominsky (Temporada 3)

Encrencão (Kevin Johnson, 2019)


Amazon Prime Video

Depois a louca sou eu

1º maio

Clube da luta para mulheres (Paul Leyden, 2020)

MIB: Homens de Preto – Internacional (F. Gary Gray, 2019)

6 maio

Depois a louca sou eu (Julia Rezende, 2019)

7 maio

The boy from Medellín (Matthew Heineman, 2020)

8 maio

Pets – A vida secreta dos bichos 2 (Chris Renaud, Jonathan Del Val, 2019)

14 maio

The Underground Railroad (Temporada 1)

20 maio

Me sinto bem com você (Matheus Souza, 2021)

21 maio

P!nk: All I know so far (Michael Gracey, 2021)

28 maio

Panic (Temporada 1)

O conto da aia

Prime Video Channels

Paramount +

1 maio

The Astronaut (Temporada 1)

2 maio

O Conto da Aia (Temporada 4)

Starzplay

2 maio

The Girlfriend Experience (Temporada 3)

16 maio

Run the World (Temporada 1 – episódios semanais)

MGM

1 maio

Tomb Raider: A Origem (Roar Uthaug, 2018)


Disney Plus

Cruella

7 maio

Elefantes em nome da liberdade

Grandes migrações

Derramamento de óleo do século

Ailo – A jornada de uma rena

14 maio

Phineas e Ferb, O Filme: Candace contra o universo

Ártico ameaçado

The Gifted (Temporadas 1 e 2)

High School Musical: A Série – O Musical (Temporada 2)

High School Musical: A Série – O musical

21 maio

Grand Canyon ao extremo

Marvel: Aventuras dos Super-Heróis (Curtas – Temporada 4)

28 maio

Cruella (Premier Access)

Expedição Marte

28 maio

Dra. T: Clínica de Animais Exóticos (Temporada 1)

Launchpad – Curta a Diversidade (Curtas)

Coop & Cami (Temporada 2)

As Crônicas de Evermoore (minissérie)

Desafio Impossível (Temporada 1)

Marvel Rising: Initiation (Curtas)

ESPECIAL MAY THE 4TH

4 maio

Star Wars: The Bad Batch (série animada)

Lego Star Wars: All-Stars (série animada)

Lego Star Wars: As Aventuras dos Freemaker (série animada)

Star Wars: Rebels (série animada)

Star Wars: Forças do Destino (série animada)


Telecine Play

Pokémon: Detetive Pikachu

1º maio

Scooby-Doo e a Maldição do 13° Fantasma (Cecilia Aranovich, 2019)

Bingo: O Rei das Manhãs (Daniel Rezende, 2017)

Liga da Justiça: Os Cinco Fatais (Sam Liu, 2019)

3 maio

Vem Com o Papai (Ant Timpson, 2019)

4 maio

Juntos Novamente (Sean McNamara, 2020)

7 maio

Os Intrusos (Julius Berg, 2020)– Première Telecine

11 maio

Alerta Vermelho (Byung-Seo Kim, 2019) – Première Telecine

13 maio

Pokémon: Detetive Pikachu (Rob Letterman, 2019)

15 maio

A Maldição da Chorona (Michael Chaves, 2019)

Tudo de Novo (Kris Rey, 2020)

A Última Escapada (Mark Lamprell, 2020)

Osmar, a primeira fatia do pão de forma (Alê McHaddo, 2019)

A maldição da Chorona

18 maio

A Irmã do Noivo (Amy Miller Gross, 2020) – Première Telecine

20 maio

Sequestro Internacional (Cyrus Nowrasteh, 2019) – Première Telecine

22 maio

Como Se Tornar Influente

25 maio

Relíquia Macabra (Natalie Erika James, 2020) – Première Telecine

27 maio

Billie

29 maio

Postais Mortíferos (Danis Tanovic, 2020) – Première Telecine

30 maio

Nadando pelo Ouro

31 maio

Ela Morre Amanhã (Amy Seimetz, 2020)

A Discussão


Belas Artes à la Carte

Tempo de matar

13 maio

Gunga Din (George Stevens, 1939)

Tempo de matar (Joel Schumacher, 1996)

Hiroshima, meu amor (Alain Resnais, 1959)

Pais e filhos (Mario Monicelli, 1957)

14 maio

Quem matou Lady Winsley? (Hiner Saleem, 2019)

20 maio

Suspeita (Alfred Hitchcock, 1941)

Noite e Neblina (Alain Resnais, 1956)

O tango do ciúme (Steno, 1981)

Na trilha do sol (Michael Cimino, 1996)

27 maio

Era uma vez na América (Sergio Leone, 1984)

Os frutos da paixão (Shuji Terayama, 1981)

Henrique V (Laurence Olivier, 1944)

Humor à Italiana (Camillo Mastrocinque, Registi Vari, 1964)

O caminho para Moscou

Mostra Volta ao Mundo: Suíça

6-19 MAIO

Desejo de Voar (Andrea Staka, 2020)

O caminho para Moscou (Micha Lewinsky, 2020)

Espacate (Christian Johannes Koch, 2020)

Love me tender (Klaudia Reynicke, 2019)

Deserto (Frédéric Choffat e Julie Gilbert, 2019)

Sturm (Oliver Rihs, 2010)

O último a rir (Alain Tanner, 1969)

Na cidade branca (Alain Tanner, 1983)

RETROSPECTIVA FESTIVAL FINOS FILMES

20 MAIO A 9 JUNHO

7 curtas-metragens que marcaram os 7 anos do Festival Finos Filmes

Cine Clube Italiano

21 MAIO

O que será? (Francesco Bruni, 2020)


Looke

Amigos para sempre

5 maio

Amigos para sempre (Shawn Seet, 2019)

Presa em você (Jillian Armenante, 2018)

A Espiã (Jens Jonsson, 2019)

Guerra & Paz (Tom Harper, 2016) – Minissérie

12 maio

Rainha de Copas (May el-Toukhy, 2019)

O Candidato (Rodrigo Sorogoyen, 2018)

19 maio

Meu amigo robô (Sarik Andreasyan, 2019)

Justiça a qualquer custo (Igor Gedrovich) – Série

26 maio

Ana (Charles McDougall, 2020)

Starfish – uma história de amor incondicional (Bill Clark, 2016)

O golpista do ano (Glenn Ficarra, John Requa, 2009)


NetMovies

Depois da escuridão

5 maio

Depois da Escuridão (Batan Silva, 2019)

A Última Resistência (Akhtem Seitablayev, 2017)

Assassino em Série (Xu Jizhou, 2017)

13 maio

KV1: Almas de ferro (Konstantin Maksimov, 2018)

Lembranças de uma infância (Gabrielle Demeestere, 2015)

Vingança (Sean Olson, 2013)

No rastro da violência (Timothy Woodward Jr., 2017)

Força para lutar (Josiah David Warren, 2017)

Em busca de uma nova chance (Shana Feste, 2010)

Assaltos em cadeia (Tristan Patterson, 2014)

Gata em fuga (John Stockwell, 2011)

O vigilante mascarado (Warren P. Sonoda, 2016)

19 maio

Nos caminhos de Deus (Ken Kushner, 2019)

O anjo de Auschwitz (Terry Lee Coker, 2019)

O coiote (Kareem Mortimer, 2017)

26 maio

Sem Perdão (Brad Garris, 2017)

Um acampamento do barulho (Lisa Arnold, 2017)


Cinema #emcasacomsesc

A flor do meu segredo

5 maio

Um só pecado (François Truffaut, 1964)

Cléo das 5 às 7 (Agnès Varda, 1962)

Meu tio da América (Alain Resnais, 1980)

Segredos e mentiras (Mike Leigh, 1996)

A vida dos outros (Florian Henckel von Donnersmarck, 2006)

Especial Pedro Almodóvar – filmes disponíveis por 15 dias

6 maio

A flor do meu segredo (Pedro Almodóvar, 1995)

Carne trêmula (Pedro Almodóvar, 1997)

Maus hábitos (Pedro Almodóvar, 1984)

Mulheres à beira de um ataque de nervos (Pedro Almodóvar, 1988)

Festival Vivadança – filmes disponíveis por 48h

5 maio

19h – Ela poema – sessão 1 (Aïda Colmenero Diaz, 2013-2016)

6 maio

19h – Ela poema – sessão 2 (Aïda Colmenero Diaz, 2014-2015)

20h – Deus nos acuda (Pak Ndjamena, 2020)

7 maio

19h – Ela poema – sessão 3 (Aïda Colmenero Diaz, 2017)

8 maio

20h – Para lá dos meus passos (Kamy Lara, 2019)

9 maio

20h – Kmêdeus (Nuno Miranda, 2020)


Cinema Virtual

Os Esquecidos

6 maio

Haifa Street – Corações em guerra (Mohanad Hayal, 2019)

13 maio

Os Esquecidos (Daria Onyshchenko, 2019)

20 maio

Harmonia silenciosa (Ian Watson, 2020)

27 maio

Homens não choram (Steve Crowhurst, 2020)


Mubi

State funeral

19 maio

A morte virá e levará seus olhos (José Luis Torres Leiva, Argentina, 2019)

21 maio

State funeral (Sergei Loznitsa, Holanda, Lituânia, 2019)

26 maio

Tender (Isabel Pagliai, França, 2020 – curta)


Reserva Imovision

Yella

6 maio

Black – Amor em tempos de ódio (Adil El Arbi e Bilall Fallah, Bélgica, 2015)

7 maio – Coleção Christian Petzold

A segurança interna (2000)

Yella (2007)

Jericó (2008)

Barbara (2012)

Phoenix (2014)


Globoplay

Proibido nascer no paraíso

1º maio

Proibido nascer no paraíso (Joana Nin, 2021)


Plataformas diversas para aluguel

A artista e o ladrão

5 maio

Além das profundezas (Joachim Hedén, 2020) – iTunes / Apple TV, Google Play, Now, Vivo Play e Sky Play

6 maio

Ultra Galaxy Fight: Heróis da nova geração (Koichi Sakamoto, 2019) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

Éden – O mundo de Eva (Ágnes Kocsis, 2020) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

Todo mundo ama minha mãe (Alberto Sciamma, 2018) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

Em busca do portal mágico (Jacek Piotr Blawut, 2018) – NOWLookeVivo PlayGoogle PlayMicrosoft e iTunes

Infidelidade (Víctor García, Espanha, Itália, 2019) – NOWLookeVivo PlayGoogle PlayMicrosoft e iTunes

7 maio

A artista e o ladrão (Benjamin Ree, 2020) – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

Uma mulher no limite (Abner Pastoll, 2019) – Claro Now, Vivo Play, Sky Play, Google Play, YouTube Filmes e iTunes/Apple TV

Além das profundezas (Joachim Hedén, 2020) – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

As legiões emergentes (Dariusz Gajewski, 2019) – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

12 maio

O Rebanho (Malgorzata Szumowska, 2019) –  iTunes / Apple TV, Google Play, Now, Vivo Play e Sky Play

Ilhados – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

Um milagre inesperado (Glendyn Ivin, 2020) – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

O último destino

13 maio

O último destino (Rec Revan, 2019) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

Quando o amor acontece (David D. Dietrich, 2020) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

Rumo à Hollywood (Rahat Kazmi, 2018) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

A superação de Amber (Paul Winters, 2019) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

Pequeninos – A inocência não tem preço (Sérgio Pucci, Costa Rica, 2018) – Looke, Now, Vivo Play, Microsoft, Google Play, Youtube Filmes e iTunes

Abaixo a gravidade (Edgard Navarro, Brasil, 2017) – Looke, Now, Vivo Play, Microsoft, Google Play, Youtube Filmes e iTunes

19 maio 

Mais que especiais (Olivier Nakache, Éric Toledano, 2019) –  iTunes / Apple TV, Google Play, Now, Vivo Play e Sky Play

Faça um desejo! (Andy De Emmony, 2020) – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

O defensor: A história de Bert Trautmann (Marcus H. Rosenmüller, 2018) – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

Os intrusos (Julius Berg, 2020) – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

Era uma vez em Roma (Eric Bross, 2019) – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

20 maio

Raia 4 (Emiliano Cunha, 2019) – NOW, Google Play, Apple Tv, iTunes e Youtube Filmes

O jogo final (Carlo Caldana, 2021) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

Vingança e traição (Vladimir Koyfman, 2019) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

Renovação do coração (Sandra L. Martin, 2019) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

Stardust

26 maio

Stardust (Gabriel Range, 2020) –  iTunes / Apple TV, Google Play, Now, Vivo Play e Sky Play

Cosmoball: Os guardiões do universo (Dzhanik Fayziev, 2020) – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

O último destino (Jonas Alexander Arnby, 2019) – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

O menino e a guerra (Ben Cookson, 2020) – Now, Vivo Play, iTunes /Apple TV, Sky Play, Google Play e YouTube Filmes

27 maio

O amadurecer de Andy (Chauncey Crail, 2019) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

Totalmente trocados (Florian Ross, 2020) – Looke, NOW, Vivo Play, Microsoft, Google Play e iTunes

Alvorada (Anna Muylaert e Lô Politi, 2021) – Now, Oi e Vivo PlaY

28 maio

O menino e a guerra (Ben Cookson, Reino Unido, Bélgica, 2020) – Claro Now, Vivo Play, Sky Play, iTunes / Apple TV, Google Play e YouTube Filmes

Vídeo: Oscar 2021


Oi, pessoal! Hoje o programa de cinema está um pouquinho diferente: como o Oscar é neste domingo, resolvi fazer um vídeo especial sobre os indicados à categoria de Melhor Filme, pensando no que eles têm em comum, e o que essa seleção diz sobre o mundo e o cinema nestes tempos de pandemia.

Primeiro, quem são e onde estão?

Neste ano, temos 8 indicados, 3 deles produzidos por empresas de streaming. Em ordem dos meus favoritos para os menos amados, temos: Bela Vingança, que estreia eternamente “em breve” nos cinemas, sem previsão para aluguel online; Judas e o Messias Negro, que estreou em fevereiro, mas caiu no limbo dos cinemas fechados; Minari, que estreia hoje, mas também só nos cinemas por enquanto; Os 7 de Chicago, que está na Netflix pra todo mundo ver desde o ano passado; Meu Pai, que está nos cinemas E disponível para aluguel nas plataformas digitais desde o começo de abril; Nomadland, em cartaz em alguns cinemas, mas sem previsão pro online; O Som do Silêncio, que está na Amazon Prime; e o sonífero da temporada, Mank, em cartaz na Netflix.

Como você pode ter reparado, o que impressiona nesta edição é a pequenez dos indicados. Uma causa disso pode ser que os “grandes” tiveram seus lançamentos nos cinemas adiados para não saírem durante a pandemia – afinal, quem saiu em 2020 se deu mal, vide Tenet e Mulher Maravilha.  Assim, sobrou espaço para títulos independentes e de diretores que nunca tinham aparecido na lista. E, com os cinemas fechados durante boa parte do ano, as únicas produções mais “polpudas” a manterem suas datas de estreia sem grandes prejuízos foram as da Netflix e da Amazon – e mesmo assim não era nenhuma superprodução. 

Mas exatamente quão pequena é esta edição? Eu fiz as contas: se a gente somar TODOS os indicados a Melhor Filme neste ano, o orçamento total não chega a 130 milhões de dólares, que é o que custa um filme razoável em Hollywood. É menos do que custou O Irlandês no ano passado, por exemplo. Pra se ter uma ideia, o filme mais caro deste ano é Os 7 de Chicago, da Netflix, e ele custou só 35 milhões – o que é menos que a média dos indicados no ano passado, mesmo se tirarmos O Irlandês, que era o mais caro. Em 2018, que foi um Oscar “de filmes pequenos”, 2 títulos custaram menos que 10 milhões. Este ano, foram 4.

As bilheterias, por motivos óbvios, também ficaram bem menores, e mais difíceis de calcular, por conta dos lançamentos online. Ao todo, os concorrentes deste ano arrecadaram cerca de 40 milhões de dólares nos cinemas do mundo todo, quando o normal pro Oscar é algo acima de 1 bilhão. No ano passado, foram 2 bilhões. Os números ainda podem subir um pouquinho ao longo dos próximos meses, mas dificilmente vai chegar perto disso.

A conclusão triste é que esses filmes dificilmente serão vistos com o mesmo impacto que os filmes de outros anos, se é que serão vistos. Afinal, poder assistir na TV de casa é uma salvação em tempos de pandemia, mas eu imagino que um filme como Nomadland, por exemplo, seja outra experiência numa sala de cinema. 

Dito isso, a seleção deste ano parece querer dizer alguma coisa para a gente.

Dos 8 indicados, 7 deles têm histórias que dialogam de alguma forma, formando um panorama do mundo atual e dos seus problemas mais urgentes. Como o meu marido comentou esses dias, é como se o cinema estivesse se aproximando do documentário, às vezes até na forma, como em Nomadland, mas outras vezes só no conteúdo, tentando ser muito mais um retrato crítico da realidade do que uma variação mais fantasiosa dela. Não por acaso, 5 dos concorrentes são baseados em histórias reais.

É claro que o Oscar sempre trouxe alguns filmes com esse perfil, mas, neste ano, isso é a regra, não a exceção. Temos filmes que discutem privilégio branco e masculino, imigração, manipulação da justiça, doença, envelhecimento, e, no centro de tudo, as contradições do capitalismo e a necessidade de se pensar em outro jeito de existir, especialmente de forma mais comunitária e colaborativa. Isso surpreendentemente é algo que permeia quase todos os filmes. 

Minari e O Som do Silêncio falam da importância da comunidade para a adaptação, seja a um novo lar, seja a uma nova realidade. Nomadland também trabalha essa ideia, e acrescenta a isso a dificuldade de se criar laços numa economia de trabalhos temporários e identidades definidas pela renda. Judas e o Messias Negro mostra os Panteras Negras como um grupo que não só enfrenta a polícia, mas também trabalha para a comunidade, juntando voluntários para suprir o que o Estado não dá, e Os 7 de Chicago, que tem uma história simultânea e até um personagem em comum, traz essa ideia do coletivo implícita no evento que leva os sete ao tribunal – é a massa que vai contra as autoridades, e questionando um capitalismo que está lucrando com a guerra. 

Meu Pai vai por outro lado, e fala de relações e conflitos muito mais pessoais. Ainda assim, há uma ideia de solidão que dialoga com os outros filmes – não há comunidade que possa ajudar esse homem preso na própria cabeça. Já Bela Vingança tem uma protagonista solitária também, mas sua história fala da quebra de confiança no outro. Ora, se as próprias pessoas violentam umas às outras e saem impunes, como podem esperar que as organizações não façam o mesmo? Que comunidade estamos criando? No fundo, o tema é sempre o mesmo: o sistema – patriarcal, capitalista – está quebrado. Exceto em Mank: Mank existe numa outra realidade.

Coerente com isso, a representatividade é a maior em todos os 93 anos de premiação: desta vez, temos apenas 1 filme centrado num personagem mais padrão – homem branco de meia idade, ocidental, com dinheiro -, que é Mank, e mesmo ele é um alcoólatra. Nos outros, os protagonistas são mulheres, homens negros, idosos, pessoas com deficiência, coreanos, e, no meio do caminho entre o padrão e a subversão, um grupo de protagonistas brancos, mas ativistas de esquerda, em Os 7 de Chicago

Atrás das câmeras a diferença também é gritante: 2 filmes têm diretoras mulheres; 1 tem um diretor negro; 1, coreano; e 1 francês, isso só na categoria de Melhor Filme. Parte da razão pra essa diversidade toda é o aumento do corpo de votantes da academia no ano passado, que finalmente incluiu pessoas mais jovens e diversas. Mas outra parte também parece ser a ausência dos grandes filmes: esses acabam tendo a obrigação de arrecadar bilheterias enormes para se pagar, e isso faz com que repitam certos temas e certas fórmulas para não desagradar ninguém. Sem eles, vem à tona um quadro muito mais realista do que está sendo feito no mundo, e a gente vê que é um quadro marcado pela vontade de usar o cinema para discutir coisas reais, pra dar voz a todo o tipo de gente e mostrar o que está errado, pra tentar provocar a mudança.

Isso não quer dizer que os filmes deste ano estejam melhores do que dos anos passados. No geral, são filmes menos empolgantes, alguns menos memoráveis, mas são todos mais intimistas, adequados para o momento de isolamento que estamos vivendo. Talvez “autoral” seja a palavra: dos 8 indicados, 4 têm uma única pessoa assinando o roteiro e a direção: Nomadland, Bela Vingança, Minari e Os 7 de Chicago. E mesmo nos outros o diretor está sempre envolvido no roteiro. 

Minha aposta? Depois de descobrir que a votação acontece de um jeito que não basta ser amado por mais gente, você também tem que não ser odiado por muita gente –, começo a pensar que Meu Pai tem grandes chances. Nomadland vem vencendo tudo, mas não vi por que tanto aue… Meu favorito mesmo é Bela Vingança. Mas vai incomodar muita gente, e, se incomodar, é porque fez seu trabalho. Então não deve ganhar.

E você? Quais são suas apostas? Lembrando que o Oscar acontece neste domingo, dia 25, e você pode assistir pela TNT a partir das 21h.