Estreias do fim de semana – 06/08 a 08/08

Alguém pediu dicas ecléticas para o fim de semana? Pois hoje eu trago sete estreias para absolutamente todos os gostos e bolsos. Tem filme premiado e gratuito pra ver na internet, tem filme-família pra ver no cinema, tem pipocão pra ver no streaming… Tem de tudo.  Vem comigo que eu te mostro!


FILMES E SERVIÇOS

Mortal Kombat | HBO Max

Druk – Mais uma rodada | Telecine

Os sapatinhos vermelhos | Belas Artes à la Carte

Em pedaços | Sesc Digital

Abe | Cinemas

O Esquadrão Suicida | Cinemas

Culpa | Filme Filme


OUTROS LINKS

Crítica de Abe

Crítica de Culpa

Episódio do Cinefilia & Companhia com Culpa

Estreias do fim de semana (23 – 25/07)

O fim de semana está entre nós e, com ele, a chance de assistir um filminho com pipoca no sofá ou, se você já estiver vacinado, na poltrona do cinema. Confira alguns destaques entre as estreias nas mais diversas plataformas:

SWEAT | Mubi

A cultura digital dos influenciadores é examinada de perto no longa “Sweat”, do sueco Magnus Von Horn, estreia da semana na Mubi. O filme acompanha uma blogueira fitness que vive o auge do sucesso online, mas, ao mesmo tempo, sofre com a carência de contato humano verdadeiro, enquanto precisa lidar com um fã obcecado.

CÉU VERMELHO-SANGUE | Netflix

Quando um grupo de terroristas decide sequestrar um avião, no thriller “Céu vermelho-sangue”, da Netflix, eles certamente não esperavam que uma das passageiras fosse, secretamente, uma vampira, que agora está determinada a proteger seu filho e chegar ao seu destino, custe quanto sangue custar.

EM UM BAIRRO DE NOVA YORK | HBO Max

A versão cinematográfica do musical da Broadway “Em um bairro de Nova York” chega ao catálogo da HBO Max, com a trilha composta por Lin-Manuel Miranda. O filme mostra uma comunidade latina dentro da agitada metrópole estadunidense. Lá, o dono de uma bodega economiza cada centavo enquanto sonha com uma vida melhor.

RASHOMON | Belas Artes à la Carte

O clássico de Akira Kurosawa “Rashomon” é o grande destaque do Belas Artes à la Carte. O filme de 1950 conta a história de um mesmo crime a partir de quatro pontos de vista: o de um bandido, uma noiva, um fantasma e um lenhador. Vencedor do Leão de Ouro e indicado ao Oscar pela Direção de Arte

SABOR DA VIDA | Filme Filme

Já a plataforma Filme Filme traz para o catálogo o romance Sabor da Vida, da diretora japonesa Naomi Kawase. O filme acompanha o dono de uma loja de dorayakis – bolinhos japoneses recheados de pasta de feijão – que contrata uma senhora para ajudá-lo, depois de provar seus deliciosos bolinhos. Com a atriz Kirin Kiki, de “Assunto de Família”.


A SOMBRA DO PAI | Sesc Digital

Representante do novo terror brasileiro, “A Sombra do Pai” estreia gratuitamente no site do Sesc, como parte do projeto Cinema Em Casa. O filme é o segundo da diretora Gabriela Amaral Almeida, de “O Animal Cordial”, e conta a história de um pai e uma filha de 9 anos que se tornam distantes após a morte da mãe. Aos poucos, o pai vai se tornando mais ausente e mais ameaçador, enquanto a menina começa a acreditar que pode trazer a mãe de volta à vida.

UM LUGAR SILENCIOSO: PARTE II | Cinemas

Emily Blunt retorna aos cinemas para a segunda parte de “Um lugar silencioso”. No novo filme, sua personagem parte com os três filhos para desbravar o que restou do mundo fora de seu refúgio e encontrar outros sobreviventes. Agora que ela conhece o ponto fraco das criaturas que caçam pelo som, a humanidade pode ter uma chance.

Gostou? Veja a lista completa de lançamentos de julho aqui.

Synonymes – choque cultural move drama franco-israelense sobre beleza e identidade

Ultimamente, tenho procurado ver mais filmes em francês, tanto para treinar o idioma quanto para me “desintoxicar” das produções hollywoodianas – que, vira e mexe, começam a parecer todas iguais. Nessa busca, resolvi dar uma chance para “Synonymes”, vencedor do Urso de Ouro em 2019 que encontrei em cartaz na plataforma Filme Filme (que tem um acervo pequeno, mas bem interessante). 

O filme é uma co-produção entre França, Israel e Alemanha e tem um diretor/roteirista israelense: Nadav Lapid (que o escreveu junto com seu pai, Haim Lapid). A história segue um jovem que foge de Israel (por motivos que não ficam claros), abandona sua família e vai morar em Paris, onde é acolhido por um casal de artistas, ele escritor e ela, musicista. 

O elemento curioso nesse filme de gênero incerto (é um drama, mas tem um sarcasmo e um mistério sempre presentes) é que Yoav, o protagonista, quer deixar para trás suas origens e abandonar até mesmo sua língua-natal. Daí o título, que faz referência às palavras que ele aprende em francês, auxiliado por um dicionário ou por seus novos amigos. Os “sinônimos” também são um jeito de falar sobre as traduções cotidianas entre uma cultura e outra – semelhantes em muitos aspectos, mas não iguais. 

Esse “despir” das raízes é apresentado de forma bem literal: durante seu primeiro banho na cidade-luz, Yoav tem todos os seus pertences furtados e se vê nu, sozinho no frio congelante de um apartamento vazio. Muitas das ideias de “Synonymes” serão trabalhadas assim, com metáforas não tão sutis (como quando ele aponta um fuzil imaginário para a catedral, ou quando “empresta” suas histórias de vida para o amigo escrever), mas que rendem belas imagens; ou com cenas que ficam no limite entre o real e o absurdo, mas que nunca atravessam a linha com convicção. Faz-se um paralelo entre arte e violência, beleza e feiura, num estudo que chega muito perto de dizer algo importante.

Como vocês podem ver, a promessa de “Synonymes” acabou me agradando mais do que o filme em si. Talvez por falta de “fluência” nas duas culturas abordadas, talvez por impaciência com certos impulsos da masculinidade (um personagem passa todo o tempo tentando provocar uma briga) ou talvez porque falte, realmente, alguma peça crucial naquele mosaico. Achei difícil comprar a intensidade com que Yaov explode após um semestre vivendo “como francês” – como ele mesmo quisera desde o início – e não costurei suas memórias na forma de um passado particularmente traumático. Imaginei sua evolução indo para outro lado, talvez: do garoto que se recusava a enxergar a beleza à sua volta, pregando os olhos no chão mesmo diante da Notre Dame, ao jovem que a abraça, de alguma forma (como ele ameaça fazer). Mas não: esse é um jovem que finalmente olha para o belo, mas não gosta do que vê. Então encontra no dicionário as palavras mais feias para descrever o único mundo que consegue ter.

Estreias do fim de semana (11-13/06)

Procurando o que assistir no fim de semana, sem sair de casa? Então dê uma olhada nesta lista incrível: entre as estreias nos diversos serviços de streaming, temos Tom Hanks e Ridley Scott no início de carreira, uma série amada pelo público retornando para a segunda temporada, filmes de figurões como Almodóvar e Xavier Dolan, o fenômeno indie “First Cow” e muito mais:


LUPIN (Parte 2) | Netflix

A segunda parte da série francesa chega para matar a curiosidade dos fãs. Omar Sy interpreta um homem que se inspira no ladrão da literatura Arsène Lupin (o “Ladrão de casaca”) para realizar roubos e trapaças elaborados, mas, por trás de todo esse espetáculo, ele tem uma questão importante e pessoal para resolver.


LABIRINTO DE EMOÇÕES | NetMovies

Prepare-se para ver Tom Hanks bem novinho no segundo longa-metragem da carreira, que estreia agora no NetMovies (de graça, com anúncios). O filme traz um grupo de amigos que decidem jogar uma partida de RPG dentro de uma caverna lendária, e mergulham de cabeça na fantasia.


DOR E GLÓRIA | Amazon Prime Video

O longa mais recente de Pedro Almodóvar, lançado em 2019, chega à Amazon Prime Video no dia 12. Antonio Banderas, seu parceiro habitual, interpreta uma espécie de alter-ego do diretor nesta história sobre um cineasta que reflete sobre as escolhas e caminhos que tomou na vida.


A LENDA | Belas Artes à la Carte

Clássico cult de 1985, escrito por  William Hjotsberg e dirigido por Ridley Scott, “A Lenda” traz Tom Cruise numa fábula de terror e fantasia envolvendo um unicórnio, uma donzela e um demônio que quer transformar o mundo em trevas.


LUA DE JÚPITER | Reserva Imovision

Do mesmo diretor de “Pieces of a Woman”, Kornel Mundruczó, “Lua de Júpiter” adora um tom mais poético para falar sobre um refugiado sírio que tenta entrar na Hungria, junto com seu pai e outros conterrâneos. 


O OUTRO LADO DA ESPERANÇA | Reserva Imovision

Ainda no tema da imigração, o longa de Aki Kaurismäki acompanha o dono de um restaurante finlandês que se aproxima de um grupo de refugiados recém-chegados, num misto de drama e comédia. O filme ganhou o Urso de Prata no festival de Berlim em 2017.


SHIVA BABY | Mubi

O longa de estreia de Emma Seligman acompanha, com humor e sarcasmo, uma estudante universitária judia e bissexual durante um único dia, quando ela precisa encarar as obrigações sociais de um funeral. 


MOMMY | Cinema #EmCasaComSesc

Vencedor do prêmio do júri em Cannes e do prêmio de melhor filme estrangeiro no César, o canadense “Mommy”, de Xavier Dolan, é um soco delicado no estômago. Os protagonistas são um adolescente agressivo e obsessivo e sua mãe solteira, com quem tem uma relação complicada.


UM POMBO POUSOU NUM GALHO REFLETINDO SOBRE A EXISTÊNCIA | Cinema #EmCasaComSesc

Inesquecível ao menos pelo título peculiar, o longa de Roy Andersson foi o vencedor do Leão de Ouro em 2014 e conta uma série de histórias vagamente conectadas por um par de vendedores, que percorrem diferentes ambientes revelando o absurdo da condição humana num misto de realidade e fantasia.


O VERÃO DE SANGAILE | Filme Filme

Neste romance lituânio que representou o país no Oscar de 2016, uma jovem fascinada por aviões conhece uma garota de sua idade durante uma apresentação de acrobacias aéreas, e as duas se aproximam pouco a pouco. O filme se destaca pelas composições visuais da diretora Alante Kavaite.


FIRST COW | Aluguel Itunes, Google Play e Now

Pequeno fenômeno de crítica, “First Cow” é um longa de Kelly Reichardt de 2019, indicado ao Urso de Ouro e ao Independent Spirit Awards. No centro, está um cozinheiro que viaja para o Oeste americano em 1820 e se une a um grupo de comerciantes de pele, até conhecer um imigrante chinês com quem decide abrir um negócio gastronômico.


O SEQUESTRO DE DANIEL RYE| Aluguel Itunes, Google Play, Now, Vivo Play e Sky

O filme, que é uma coprodução entre Dinamarca, Noruega e Suécia, conta a história real de um fotógrafo dinamarquês capturado pelo grupo ISIS durante um trabalho na Síria, em 2013, e mantido refém por 398 dias.