“Beijos, Mama”

A primeira vez que minha mãe me mandou um postal, ela estava em Nova York. O cartão só foi chegar semanas depois e achei a maior graça, porque foi ela mesma que o recebeu na casa da minha avó. Eu devia ter uns sete ou oito anos e não entendia direito para que servia aquele papel.

Continuar lendo ““Beijos, Mama””

Girls’ Night Out

Às vezes me esqueço de como é ir ao cinema sem estar trabalhando. Sem ter que prestar atenção a cada elemento do filme ou refletir sobre suas mensagens e apenas reagir a ele – apenas rir, despreocupada, de todos os seus absurdos e das pequenas identificações que ele provoca, sabendo que a pessoa ao lado não vai se incomodar com isso. Continuar lendo “Girls’ Night Out”