Menininha

Todo mundo tem uma história vergonhosa da infância. A minha (uma delas) é essa: quando tinha meus 4 ou 5 anos, eu costumava me agarrar ao corrimão na casa da minha avó e chorar descompensadamente, bradando aos sete ventos que eu queria ir à escola de saia, não de calça. Fazia uns 10 graus. Continuar lendo “Menininha”

Girls’ Night Out

Às vezes me esqueço de como é ir ao cinema sem estar trabalhando. Sem ter que prestar atenção a cada elemento do filme ou refletir sobre suas mensagens e apenas reagir a ele – apenas rir, despreocupada, de todos os seus absurdos e das pequenas identificações que ele provoca, sabendo que a pessoa ao lado não vai se incomodar com isso. Continuar lendo “Girls’ Night Out”